ABNT: Aprenda como editar o seu trabalho acadêmico

Escrito por

Procurando alguém para fazer seu trabalho de escola, TCC, Monografia ou algum outro trabalho acadêmico? Clique aqui e faça seu orçamento agora mesmo!

Quem já teve que fazer um trabalho acadêmico, seja ele monografia, dissertação, tese, artigo ou trabalho de conclusão de curso (TCC), já ouviu falar nas normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Essa norma regulamenta o padrão de escrita e formatação que os trabalhos formais devem ter para obtenção de títulos de bacharelado, licenciatura, especialista, mestre e doutor, e estabelece a formalidade dessas relações.

No entanto, ela não formaliza apenas os procedimentos para entrega de trabalhos acadêmicos, mas sim de diversas técnicas executadas em várias áreas no Brasil. Funciona como uma certificação de rede estabelecendo o que é certo e errado fazer.

No artigo de hoje você vai saber um pouco mais sobre as normas da ABNT e como aplicar no seu trabalho acadêmico, além da NBR e dos benefícios da aplicação. Confira!

Afinal, o que é NBR?

A NBR é uma sigla para Normas Técnicas Brasileiras, produzida pela ABNT. Essas normas organizam padrões para assuntos considerados específicos em diversas áreas. Sendo assim, para saber algo específico, terá que consultar a NBR correspondente.

Por exemplo, se você trabalha com usinagem de precisão, com certeza existe alguma NBR definindo a sequência a ser empregada, os equipamentos necessários e o tempo demandado para estar dentro dos padrões.

Algumas NBRs dizem respeito à vida estudantil, e padronizam o trabalho como citamos anteriormente. Portanto, vamos apresentar algumas normas que você precisa saber para fazer um trabalho acadêmico adequado. Confira.

ABNT: Aprenda como editar o seu trabalho acadêmico

1. NBR 14724 – Normas para formatação e estrutura de trabalho acadêmico

A NBR 14724 é empregada para construção de estrutura, escrita e formatação dos trabalhos acadêmicos que envolvem o TCC, artigos científicos, dissertações, teses e relatórios de pós-doutorado.

Essa norma estabelece que os textos devem ter uma ordem lógica contemplando elementos pré-textuais, textuais (desenvolvimento) e pós-textuais.

Por exemplo, se você escreve um trabalho sobre desenho e melhoria de processos, na capa devem constar o título, seu nome, o nome da instituição, a cidade e o ano da publicação.

Nos elementos pré-textuais estão incluídos:

  • A capa;
  • Folha de rosto;
  • Folha de aprovação (assinada pela banca);
  • Resumo em língua de origem;
  • Resumo em língua estrangeira selecionada;
  • Sumário ou índice.

Estes elementos são obrigatórios e devem constar como pré-textuais em todo texto que segue essa NBR.

Como elementos opcionais da seção pré-textual temos a lombada, errata (se for necessária), dedicatória, agradecimento, epígrafe (uma frase ou pensamento), lista de ilustrações, de tabelas, de símbolos e abreviaturas ou siglas.

Os elementos textuais envolvem a introdução, desenvolvimento e conclusão. Na introdução, você deve abranger elementos para situar o leitor sobre o assunto do trabalho. No desenvolvimento o trabalho discorre e por fim é concluído na conclusão.

Imagine que você escreve um trabalho sobre “A importância do botão de comando para as campanhas de marketing”. Nesse caso, a introdução deve trazer o que é um botão de comando, o desenvolvimento sobre o que você fez para ter a resposta e a conclusão.

Por fim, os elementos pós-textuais englobam as referências como algo obrigatório. O glossário, apêndices, anexos e índices são considerados elementos opcionais que

podem constar na parte pós-textual do trabalho.

2. NBR 15287 (Normas de Projeto de Pesquisa)

A NBR 15287 é uma continuação da anterior e versa sobre regras para projetos de pesquisa apresentados à instituição para ingresso em pós-graduação stricto sensu (para o meio acadêmico) ou à órgãos públicos para solicitação de verba para pesquisa.

Basicamente o projeto de pesquisa contém os mesmos elementos pré-textuais e pós-textuais que o trabalho de pesquisa formal. O que muda é que não há resultados e discussão pois será desenvolvido, e um cronograma deve ser acrescentado.

Além da introdução, ou dentro dela, deve haver a hipótese, os objetivos, uma justificativa do porquê da realização da pesquisa e os métodos a serem empregados.

Suponhamos que você realizará uma pesquisa sobre “Desenvolvimento de serviço de corte e dobra de aço para usinagem de peças automotivas”. Na introdução você citará o que é esse serviço, qual o objetivo da pesquisa, a hipótese e a justificativa.

3. NBR 10520 (Normas de citações)

As citações são informações trazidas ao documento extraídas a partir de textos de outras pessoas, como dados de pesquisas ou conclusões. Contudo, como não são informações que você obteve a partir de seus estudos, deve citar quem realizou.

Sendo assim, você cita no texto de onde retirou determinada informação. Existem três tipos de citação: a direta, indireta e citação de citação (na qual se usa o APUD para identificar).

A citação direta é aquela em que você retira integralmente do texto e coloca entre aspas, se for igual ou menor que 3 linhas, e em recuo de 4 cm a partir da margem esquerda se tiver mais de 3 linhas.

Por sua vez, a citação indireta é aquela em que você usa os dados de uma fonte, mas escreve com suas próprias palavras e não precisa das aspas.

Por exemplo: você escreve que a analise de risco deve ser realizada a cada seis meses dentro de empresas grandes e a cada 8 meses em empresas pequenas.

No texto original estava: “Recomenda-se a realização de manutenção a cada 6 meses em grandes empreendimentos e 8 meses nos pequenos”. Dessa forma, você fez uma citação indireta.

A citação de citação, que é recomendada em menor uso por ser de menor qualidade, é quando você cita uma informação de um texto que citou outra de outro autor. Para isso, você coloca as duas fontes e entre elas o sufixo Apud.

Além disso, a norma traz padrões para notas de referência, de rodapé e explicativas, que são menos utilizadas no dia a dia dos trabalhos acadêmicos, sendo mais restritas à área de ciências humanas.

4. NBR 6023 (Normas de referências bibliográficas)

As referências bibliográficas dizem respeito às fontes usadas para construção dos trabalhos, pois as informações consolidadas no desenvolvimento são de outras pessoas. Logo, tudo é método, métrica e padronização.

Quando se colocam as referências no texto, você precisa adicionar a fonte no final da frase. Por exemplo: você escreve que os projetos de engenharia devem ter sua realização de até 6 meses. No final da frase você vai colocar a fonte entre parênteses.

Ou seja, se você coloca uma frase “pessoas que fumam tem maior probabilidade de desenvolver câncer de pulmão”. Ao final da frase, você deve colocar o seguinte: (SOBRENOME, Ano). Se for citação direta, colocar também a página de onde tirou.

Quanto às referências completas dos elementos pós-textuais, devem ser colocadas no final do trabalho e têm um padrão conforme o tipo de fonte. Como padrão de referência a NBR estabelece o seguinte modelo para artigos:

SOBRENOME, Autor. Título do artigo. Nome da Revista em que foi publicado (em negrito), v. XX, n. XX, Ano de publicação.

Para livros, e-books e capítulos de livros, o seguinte modelo é adotado:

SOBRENOME, Autor. Título do livro (em negrito). Nome da editora, Ed. XX, Ano de publicação.

Em caso de até três autores, os nomes devem ser citados. Se houver mais de três, cita-se o primeiro e acrescenta o sufixo et. al que em latim significa “outros”.

5. Normas gerais para formatação

Além das NBRs específicas, a ABNT estabelece um padrão para formatação do documento em editores de texto que contemplam obrigatoriedade em todas as áreas. Você deve ficar atento aos seguintes parâmetros:

  • Tipo de fonte de escrita;
  • Formato do papel;
  • Espaçamento entre linhas;
  • Espaçamento das margens do papel;
  • Posição do texto do documento.

Abaixo estão os detalhes estabelecidos para cada um desses parâmetros!

Tipo de fonte de escrita

A fonte empregada nos textos é padronizada como Times New Roman ou Arial, ambas com tamanho 12 no texto e 10 em citações diretas de mais de 4 linhas.

Formato do papel

O tipo de papel a ser selecionado é de folha A4, correspondente ao papel sulfite no qual se realiza a impressão posteriormente.

Espaçamento entre linhas

A recomendação no texto é de 1,5 cm e nas citações diretas de mais de 4 linhas, espaçamento simples.

Espaçamento das margens do papel

As margens devem contemplar 3 cm para esquerda e superior e 2 cm para direita e inferior.

Posição do texto do documento

Todo o texto deve ser justificado, com exceção das referências que podem estar justificadas ou justificadas à esquerda.

Benefícios da aplicação da ABNT no seu trabalho acadêmico

As normas da ABNT existem para padronizar os trabalhos, como vimos, e isso traz diversos benefícios à área acadêmica, como:

  • Maior padronização de trabalhos;
  • Sequência lógica de eventos;
  • Melhor compreensão sobre o que foi feito;
  • Maior contextualização inicial para entendimento;
  • Organização da escrita;
  • Maior formalidade que é exigida nos eventos.

Sendo assim, a ABNT estabelece um padrão a ser seguido por todos e torna a leitura do trabalho muito mais fácil. Pode ser interessante a realização de curso online NR (normas regulamentadoras) para ficar por dentro e memorizar esses padrões.

O entendimento das normas estabelecidas é essencial para que você atenda os requisitos necessários e obtenha uma aprovação tranquila do seu curso. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário