8 passos para uma monografia perfeita

Looking for someone to do your school work, Capstone, Thesis or some other academic work? Click here and make your budget right now!

THE monografia é a última prova para você conquistar seu diploma acadêmico, sendo o Trabalho de Conclusão de Curso, ou o TCC, mais comum.

Nessa etapa decisiva, é muito comum que os estudantes tenham dificuldades, principalmente em relação a pontos como planejamento e gerenciamento de tempo, padronização da linguagem e normalização textual.

Esse trabalho acadêmico vem para “coroar” todo o curso, e seu desempenho é decisivo para a finalização de uma etapa, afinal, todo o seu esforço e desempenho ao longo dos anos de curso, precisam ser provados nesse documento oficial.

Muitas pessoas já sabem como fazer uma monografia é um trabalho difícil, longo, complexo e criterioso, independentemente da área de conhecimento que aborde. 

Então, para auxiliar na elaboração de uma dissertação perfeita, trouxemos esse texto para você. Abordaremos, em 8 passos, dicas sobre como estruturar, desenvolver e finalizar esse projeto. 

Leia até o fim, fique mais perto de conquistar seu título e iniciar suas atividades profissionais, como serviços de contabilidade, para os graduados em Economia ou Ciências Contábeis.

O que é uma monografia?

Todo curso superior, seja de graduação ou pós-graduação, demanda, obrigatoriamente, a entrega de uma prova concreta da aplicação prática do referencial teórico aprendido ao longo do período de estudos. 

Dessa forma, cada instituição determina o formato utilizado para o TCC dos discentes. Os mais utilizados são:

  • A monografia;
  • A produção de um artigo acadêmico;
  • A publicação em um revista científica;
  • Ou outras modalidades mais específicas da área, como um documentário.

Todos esses são exercícios bem diferentes dos demais trabalhos de faculdade que envolvem a discussão do design de um produto, como a guia de corda, no caso de um curso como Engenharia de Produção.

Ademais, ele envolve muita pesquisa e investigação científica, além de seguir normas e padrões específicos e obrigatórios para sua aceitação.

Monografia x artigo acadêmico

O termo monografia deriva do grego: “mónos” é um sufixo para “um só”, e “graphein” que significa “escrever”.

Ou seja, é escrever sobre um tema delimitado, como “Prototipação de transmissor de nível ultrassônico”, em um exemplo voltado para um curso como Engenharia de Controle e Automação.

O objetivo é que o aluno entre em contato com a realidade da pesquisa científica, para concluir as exigências básicas quanto ao conhecimento e experiências, para sua formação profissional.

Já o artigo acadêmico, apesar de sua metodologia de desenvolvimento ser muito parecida com a da monografia, difere na forma de apresentação, uma vez que é um formato curto, muito objetivo, enquanto a outra demanda grande riqueza de detalhes.

São utilizados para as publicações em revistas científicas e apresentações em congressos relacionados à área do conhecimento, como um que aborde um tema como a manutenção de tanques industriais, seguindo ainda o exemplo acima.

Como a monografia é o formato mais amplamente empregado, e geralmente é a base para o desenvolvimento de um ou mais artigos, focaremos nela.

Como desenvolver a monografia perfeita?

A construção de uma boa monografia é feita com a execução de uma série de etapas, e podemos dividir em três principais momentos: 

Primeiro a idealização, construção do projeto e escolha do orientador; segundo, a execução do trabalho, seja um levantamento bibliográfico, testes laboratoriais ou amostragens estatísticas; e, por fim, a escrita da monografia em si. 

Existem algumas técnicas que podem facilitar o processo, e podem ser aplicadas para qualquer tipo de estudo, desde pesquisas clínicas na área da saúde, revisão de literatura ou desenvolvimento de novas soluções, como elementos de fixação

A seguir pontuamos 8 momentos críticos para a elaboração de um trabalho de alta qualidade. Confira:

  1. Definindo o tema 

A definição do tema é o primeiro passo para um TCC. Como falamos, ele deve ser específico, deve resolver um problema, responder uma pergunta, testar uma ideia e/ou discutir uma situação da sociedade.

Ou seja, o seu trabalho deve ser uma contribuição para determinado segmento do saber humano, então pense muito sobre onde concentrará seus esforços.

É muito importante que você escolha um tema que realmente lhe interesse e pelo qual você se engaje, afinal será necessário aplicar muito tempo se dedicando ao assunto. 

Neste momento não precisa se preocupar com o que fará para o resto de sua vida, e sim, em mostrar o seu desempenho com a bagagem que tem até aqui.

  1. Escolhendo o orientador

O orientador é o professor responsável pelo seu projeto de pesquisa, e tem um papel fundamental no desenvolvimento do trabalho.

É o orientador que o ajudará com todas as dificuldades, seja para refinar o tema, orientar sobre questões éticas, as melhores metodologias, indicar referências, dicas sobre abordagens, e com quem você vai discutir suas descobertas na busca de insights.

Ele deve acompanhar todo o processo, de modo a garantir a qualidade final. Mas atenção: a responsabilidade sobre o resultado não é do orientador, e sim do aluno.

É sua obrigação procurá-lo quando tiver dificuldades, expor dúvidas e problemas, pedir orientações sobre como utilizar equipamentos, como uma máquina de alinhamento, enviar o material para revisão, e pedir direcionamentos. 

Sempre valorize o tempo do seu orientador e, principalmente, valorize o tempo que você tem com ele para aprender o máximo possível. É crucial escolher um professor com quem você tenha afinidade e consiga dialogar facilmente. 

Não estamos falando de escolher alguém porque é legal ou simpático, e sim porque você tem acesso e naturalidade para conversar com a pessoa. Além disso, busque aqueles que atuem profissional ou academicamente com o tema escolhido. 

Também é importante escolher uma pessoa realmente disponível, ou poderá ter problemas ao longo do desenvolvimento. No entanto, os melhores profissionais geralmente são aqueles com menor disponibilidade de tempo. 

Uma solução aqui pode ser a adoção de um coorientador. Saiba pesar os prós e os contras, e pense sobre o quão autodidata você é. 

Converse com outros alunos e se informe sobre como é trabalhar com cada professor. Outra dica é pedir orientação ao diretor do departamento de seu curso sobre qual docente escolher. Exponha suas ideias e pergunte quem poderia lhe orientar melhor.

  1. Estruturação do trabalho

Uma pesquisa científica é estruturada sobre um problema central, uma pergunta a ser respondida. 

Ela deve iniciar com hipóteses do que se espera, e ser concluída com os resultados que se obteve após a experimentação, sua discussão, comparação com a literatura existente e, por último, ser finalizada com uma conclusão pertinente e coesa.

Saiba desde o início que a estruturação e o planejamento será a diretriz-base para todos os seus esforços futuros. 

Essa etapa deve ser muito bem trabalhada, de forma a evitar o desperdício de recursos valiosos, como o seu tempo e o dinheiro da instituição, afinal, o uso de equipamentos como tacógrafo digital, e instalações como os laboratórios, têm um custo considerável.

  1. Criação de um cronograma

Uma monografia é um projeto longo que, como você viu, depende de diferentes etapas para progredir, então é essencial se planejar a respeito, para não haver desespero na reta final.

Elabore um cronograma em conjunto com seu orientador, defina metas e as cumpra. Um dos maiores inimigos da monografia perfeita é a procrastinação.

Por ser um trabalho que só será entregue no final do curso, alguns deixam para se preocupar com isso nos últimos semestres. Não cometa esse erro.

  1. Desenvolvimento do trabalho de pesquisa

Ao longo de sua pesquisa e do desenvolvimento do projeto, não deixe de fazer anotações, seja de referências, observações, insights momentâneos ou ideias futuras, além de cuidar muito bem de todos os dados de seu trabalho.

Faça backups, sempre. Aconselhamos ter o projeto salvo em mais de um dispositivo, para sua segurança.

  1. Redigindo a monografia

Desde o início, atente-se às regras de normatização adotadas pela instituição de ensino. O mais comum, é o uso das regras da ABNT, a Associação Brasileira de Normas Técnicas.

E tenha muita atenção a essas regras. São diversas e muito específicas as orientações quanto aos elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais.

Comece a escrever rápido, para não se enrolar no final: combine revisões periódicas com seu orientador, pois outra grande armadilha é enviar somente a versão final para a revisão. Você corre o risco de ter que refazer todo o trabalho.

  1. Normalizando e padronizando

Após seu trabalho sobre, por exemplo, um autotransformador inovador estar completo, revise cuidadosamente se está adequado a todas as normas de padronização.

Revise referências e passe o trabalho por um verificador de plágio. Trabalhos com conteúdo plagiado são justa causa para que sua monografia seja descartada, além de configurar um crime contra a propriedade intelectual de outra pessoa.

  1. Entrega e apresentação

A maioria das instituições exige que além da entrega do documento impresso, o aluno apresente o conteúdo verbalmente para uma banca examinadora.

Normalmente, o aluno opta junto ao orientador sobre a composição dessa banca, que pode ser formada por outros professores ou demais profissionais titulados na área.

A apresentação deve ser objetiva e você deve estar preparado para perguntas e questionamentos. Aconselhamos fazer ensaios prévios com seu orientador, com o espelho e com amigos próximos, afinal, é muito comum estar nervoso nesse momento.

Final considerations

Uma monografia deve ser encarada com muita seriedade, pois é sua primeira oportunidade de provar seu profissionalismo. A adoção de práticas organizadas e de um planejamento adiantado, são fundamentais para evitar qualquer problema e garantir qualidade.

This text was originally developed by the blog team Investment Guide, where you can find hundreds of informative content on different segments.