Wie einfach sind Android-Geräte mit einer Spionage-App zu hacken?

Geschrieben von

Suchen Sie jemanden, der Ihre Schularbeiten, Abschlussarbeit oder andere wissenschaftliche Arbeiten erledigt? Klicken Sie hier und erstellen Sie Ihr Budget jetzt!

Inúmeros problemas podem existir em dispositivos Android, desde gerenciamento de credenciais deficiente até correções ausentes do sistema operacional. A maioria dessas falhas são comuns e não podemos desconsiderar ou ignorá-las.

Você pode não ser um especialista em segurança, mas deve estar ciente das vulnerabilidades encontradas na maioria dos dispositivos Android. Mostraremos as várias maneiras pelas quais os hackers capitalizam essas vulnerabilidades e com que facilidade eles podem invadir nossos telefones.

O que torna o Android um alvo proeminente?

O Android é uma plataforma de código aberto que, em comparação com outros sistemas operacionais móveis, está mais exposta a criminosos e hackers. Embora essa abertura contribua para a atmosfera colaborativa do Android, também torna mais fácil para partes hostis desenvolver e espalhar malwares poderosos que podem se infiltrar e explorar o sistema operacional, de acordo com engenheiros do Android. Uma vez no seu dispositivo, os invasores têm acesso a praticamente todas as partes de suas informações pessoais. E os usuários têm poucas maneiras de recuperar o controle. Até o Google está ciente dessas brechas de segurança em seu sistema operacional, mas demora a corrigi-las.

Você sabia? De acordo com o banco de dados de vulnerabilidades de segurança CVEDetails, o Android tem mais de 4.043 falhas de segurança. As execuções de código são as mais comuns, seguidas por estouros de memória e, finalmente, vulnerabilidades de negação de serviço (DOS).

Somente em 2022, os pesquisadores identificaram 37 vulnerabilidades de segurança. O Google divulgou quatro vulnerabilidades do Android em maio de 2021, permitindo que códigos maliciosos fossem executados. O Google divulgou essas informações como parte de seu Boletim de Segurança do Android. O gigante da tecnologia emitiu correções de segurança para fabricantes de dispositivos, que posteriormente entregaram os patches aos dispositivos por meio de atualizações sem fio. Mas foi depois de meses de idas e vindas com fornecedores de hardware e atrasos.

Como os telefones Android representam a maior parte do mercado de smartphones, os hackers visam fortemente os dispositivos Android para phishing.

Os usuários do Android, de acordo com a CSO, estão especialmente expostos, pois frequentemente monitoram seus e-mails em tempo real, abrindo e lendo e-mails à medida que chegam. Os aplicativos de e-mail em dispositivos móveis são ainda mais vulneráveis ​​porque oferecem menos informações para corresponder aos tamanhos de tela menores. Mesmo quando aberto, um e-mail pode exibir apenas o nome do remetente até que a barra de informações do cabeçalho seja expandida. É por isso que os especialistas em segurança aconselham os usuários a nunca clicar em links de e-mail desconhecidos. Se a situação não for urgente, deixe os itens de resposta ou ação até chegar ao computador.

Quão fáceis são os dispositivos Android para hackear usando um aplicativo espião?

Quais métodos os hackers estão empregando para se infiltrar em dispositivos Android?

Aplicativos espiões nº 1

Embora muitos usuários do Android estejam preocupados com o malware enviando fluxos de dados de volta aos invasores, há uma ameaça mais imediata: spyware de telefone celular. Em muitas circunstâncias, os consumidores devem se preocupar com spyware implantado por cônjuges, colegas de trabalho ou empregadores para rastrear seu paradeiro e comportamento, em vez de malware de invasores desconhecidos.

 Muitos desses programas, também conhecidos como stalkerware, devem ser instalados no smartphone do alvo sem seu conhecimento ou consentimento. Devido aos danos que causam, um pacote abrangente de antivírus e detecção de malware deve utilizar técnicas de varredura especializadas para eles, o que requer um tratamento ligeiramente diferente de outros malwares.

A maioria dos aplicativos de monitoramento remoto funciona dessa maneira. Esses aplicativos podem espionar dispositivos Android se passando pelo proprietário do dispositivo. Eles permitem que usuários de terceiros monitorem e espionem celulares Android. Um desses aplicativos – o Xnspy pode espionar telefones Android sem acesso ao telefone de destino, permitindo que os usuários acessem registros de chamadas, mensagens de texto e localização do usuário como se fossem o proprietário do dispositivo.

#2 Mídia de armazenamento

Um aplicativo móvel pode salvar dados (cookies, arquivos de texto, configurações e assim por diante) em várias mídias de armazenamento, como bancos de dados SQL, data warehouses, arquivos XML, armazenamento interno e assim por diante. A criptografia eficiente de dados confidenciais usados ​​no programa é essencial para preservar sua privacidade.

Aplicativos Android bem projetados podem armazenar dados que não devem ser compartilhados em uma rede segura. Cada aplicativo mantém todos os seus dados em um único diretório, incluindo preferências e arquivos. Na maioria das circunstâncias, apenas seu aplicativo terá acesso imediato a esse diretório e nenhum outro software poderá ler os dados. No entanto, o Android oferece ferramentas que permitem que os dados de um programa sejam vistos por outros aplicativos instalados no dispositivo.

#3 Abuso de permissão

Atualmente, a maioria dos aplicativos exige permissão para funcionar corretamente, como permissão para acessar a mídia, o microfone, os contatos do telefone e assim por diante. No entanto, ter controle sobre o nível de acesso torna-se crítico. Além disso, smartphones Android com root ou dispositivos iOS com jailbreak permitem que aplicativos maliciosos acessem os dados de outros aplicativos, aumentando o risco de comprometimento de dados.

Vulnerabilidades de tempo de execução

Devido a uma vulnerabilidade de tempo de execução em dispositivos Android, o Xnspy consegue se esconder da lista de aplicativos em execução, pois a falha de segurança permite que ele desapareça da lista. Assim, o hacker continua espionando o telefone Android sem acesso ao telefone de destino e extrai dados do dispositivo usando o aplicativo em modo furtivo completo, sem alarmar o proprietário. Mas e o software antivírus ou firewall?

Como mencionamos acima, um pacote abrangente de detecção de antivírus e malware deve utilizar técnicas de varredura especializadas para aplicativos espiões que os tratam de maneira diferente. Apenas alguns aplicativos antivírus móveis utilizam esses algoritmos avançados. E o que faz, o Xnspy pode contra-atacar levantando falsos positivos. A Avast, por exemplo, utiliza Inteligência Artificial para bloquear a execução de códigos maliciosos em tempo real. Ele atualiza constantemente seu banco de dados de ameaças para proteger seus usuários contra ameaças em evolução.

Atualizações frequentes

O Xnspy atualiza frequentemente seus algoritmos também para sair pela culatra das estruturas de detecção de antivírus. Isso significa que as atualizações comuns de antivírus também serão este aplicativo espião. E faz isso automaticamente, novamente, completamente escondido da vista de todos.

Depois de atualizado, toda vez que o usuário verifica se há malware ou spyware, o Xnspy dispara alarmes falsos em aplicativos legítimos que confundem o usuário. Ele frequentemente envia notificações falsas de que o usuário terá que desativar as notificações ou desinstalar completamente o aplicativo do telefone. Portanto, mesmo que o antivírus detecte ameaças reais, o usuário não conseguirá distinguir a diferença.

Analisando tecnologias específicas de segurança cibernética

Alguns dispositivos Android, como a série Galaxy da Samsung, têm sua tecnologia de segurança cibernética construída desde o início. Os mais recentes telefones Galaxy da Samsung, por exemplo, vêm com a marca registrada Knox Protection, que é um sistema de proteção multicamada que é executado em hardware especial.

Esse sistema oferece proteção em tempo de execução e isola dados confidenciais do restante do sistema. O que significa que, mesmo que os hackers tenham acesso à funcionalidade principal do sistema operacional, o Knox isolará aplicativos e dados de usuários do próprio Android. E para isso, o software espião de telefone Xnspy se isola tanto da segurança do Knox quanto do sistema Android. Ele permite que o aplicativo funcione normalmente na sandbox do Knox, mesmo que os dados sejam criptografados. O Knox aproxima o hacker dos dados, pois fica isolado do restante das medidas de segurança do sistema.

Capitalizando o excesso de confiança dos desenvolvedores

E, por último, você pode estar pensando que, se o Android tiver um histórico comprovado de ataques cibernéticos frequentes e falhas de segurança inatas, a Apple terá um desempenho muito melhor em termos de segurança e confiabilidade. A Apple comercializa seu ecossistema como um jardim murado sempre que pode, mas o iOS não é mais seguro que o Android. E o Xnspy permite que hackers capitalizem as falsas esperanças dadas aos usuários da Apple.

Como a Apple tem a reputação de exagerar suas alegações como fatos, os usuários tendem a baixar a guarda e não tomam medidas preventivas, nem contra técnicas comuns de hackers, nem para proteger sua privacidade. E o Xnspy tira proveito dessa mentalidade. O fato de a Apple não permitir mais que seus dispositivos sejam enraizados ou desbloqueados não impediu os hackers de usarem o Xnspy em sua plataforma. Em vez disso, os hackers usam o iCloud para obter acesso a um iPhone. E como os hackers sabem que a Apple coloca muito foco na privacidade do usuário, eles sabem que a conta do iCloud não será verificada quanto a software malicioso. Isso dá a eles tempo suficiente para instalar o Xnspy e começar a monitorar os iPhones por meio do aplicativo.

As falhas nas medidas de segurança cibernética do Android expuseram os usuários a inúmeras ameaças de segurança. Os proprietários de telefones precisam ter a segurança em suas próprias mãos para navegar no espaço tecnológico.

Schreibe einen Kommentar